Teatro / Poesia

Home | Editora | Catálogos | Novidades | Promoções | Destaques | Sugestões | Links | Encomendar

 

Título: Safo - Fragmentos Poéticos

Autor: Safo 

 

Editor: Coisas de Ler - 1ª Edição de 2002 -

Nº Páginas:  108 

Ref.: CL001 - Preço: € 13,12

 

Título: Dafnis e Cloé 

Autor: Longus de Lesbos 

 

Editor: Coisas de Ler - 1ª Edição de 2002 -

Nº Páginas:  144 

Ref.: CL004 - Preço: € 13,12

A poesia de Safo, destinada a ser cantada com o acompanhamento de uma lira ou outro instrumento de cordas, está associada a um grupo de mulheres denominado «Casas das Servidoras da Musa» que se dedicavam ao culto de Afrodite.
A obra de Safo é um dos expoentes da poesia universal de todos os tempos e entre os seus admiradores contam-se génios como Platão, Petrarca, Byron e Rilke.
“A poetisa mais antiga da história europeia nasceu na ilha de Lesbos, provavelmente no ano de 600 antes de Cristo, tendo-se tornado conhecida por estar sempre rodeada de mulheres, acerca das quais escreveu com ostensivo erotismo”.
   Lesbos, reino de Ninfas e de riachos, de bosques verdes e de maravilhosos jardins. Dois pobres órfãos abandonados, Dafnis e Cloé, foram aqui recolhidos por um casal de pastores. São puros e inocentes. Só conhecem uma moral - a da natureza. Uma só lei se cumpre diariamente diante deles - o milagre da vida. E é assim que nasce o amor. Dafnis e Cloé viverão um amor inebriante, ao mesmo tempo sensual e pudico, terno e violento.

 

Título: O Público

Autor: Frederico Garcia Lorca

Editor: Cotovia 1ª edição 1989 Nº Páginas:  104
Ref.: CT006 - Preço: € 12,85

 

Título: As Lágrimas Amargas de Petra von Kant

Autor: Rainer Fassbinder

 

Editor: Cotovia reedição 2015

  Nº Páginas:  88
Ref.: CT007 - Preço: € 12,80

Este livro retrata-nos uma peça de teatro do poeta Frederico Garcia Lorca Petra... E então, pouco a pouco, começou a morrer a dignidade. Vi que me tinha enganado com ele, e comigo, e decidi acabar. Acabar com o meu amor po ele. Os últimos seis meses foram horríveis, acredita, horríveis! É claro que ele reparou que tudo tinha acabado, ou pelo menos desconfiou. Mas não levou a bem. E não procedeu com muita inteligência. Já que não conseguia prender a mulher em tudo, tentou ao menos na cama. Então surgiu o nojo. Ele foi usando a técnica, a força. Deixei-o, fui aguentando, mas a verdade é que o achava um porco.

Título: Salomé

Autor: Oscar Wilde

Editor: Assírio e Alvim - 1ª edição 2011 

Nº Páginas:  128
Ref.:  - Preço: € 7,00

 

«Wilde escreveu Salomé; em francês, provavelmente por a querer próxima de belezas já conhecidas em Maeterlinck; mas de certeza porque Sarah Bernhardt lhe pedia desde há muito uma peça sobre a rainha Isabel I, e talvez o dispensasse da encomenda se à sua vista fosse estendida uma irrecusável extravagância luxuosa e orientalista, de bom convívio com os seus gestos largos e as suas tiradas longas. Foram decisivas uma visita à casa do escritor Jean Lorrain — onde viu, pousada numa bandeja, a cabeça de cera que o levou ao mau capricho da fotografia em pose de Salomé—e uma visita ao Moulin Rouge—onde uma bailarina italiana executava, só como torso e o ventre, a dança ideal para a sua peça. […] Só nesta obra dramática de Wilde a linguagem perseguiu o intuito de criar uma atmosfera sensual e sufocante, com um vocabulário caro à “decadência” estética do final do século XIX e que já surgia nalguns passos de Dorian Gray.Wilde espalha sangue, vinho e muitas cores, põe pratas a cintilar na lua, enfeita discursos com topázios, ónix, sardónicas e calcedónias, que lá se encontram quase sempre como sonoridades reduzidas à sua função de “palavra”, e não para as significações mais profundas que assumem, por exemplo, em Mallarmé ou Maeterlinck. A peça desenrola-se sob os raios de uma lua vista por cada personagem com olhar diferente, e que é reflexo dos seus próprios anseios. As personagens ouvem-se pouco umas às outras, dialogam entre si com os monólogos do seu isolamento carregado de uma nostalgia erótica que procura a beleza e teme a morte.» Aníbal Fernandes, na Introdução 

         
Título: Desconhecido Expresso

Autor: José Carlos Cruz - Ilustrações: M. Rosário Beja Filipe

 

Editor: Esquina Editora - 1ª edição 2000 

 Nº Páginas: 98
Ref.: EE001 - Preço: € 7,48

  Promoção: € 6,00

  Título: A Minha Circunstância de Ser  

Autor: José Carlos Santos

Editor: Editorial Escritor - 1ª edição ..... - 

Nº Páginas: 79
Ref.: ES001 - Preço: € 9,87  

Em promoção € 8,87

José Carlos Cruz neste seu primeiro livro de poemas conta com uma série de lindíssimas ilustrações de Maria Rosário Filipe que dão vida ao sentimento profundo de quem escreve. Como diz o autor: “A organização deste livro obedece a uma ordem estritamente cronológica. Assim, entre o mais antigo poema (Eros) e o mais recente (Velocidade) há dez anos. Eugênio de Andrade diria que são dez anos à procura de uma voz. Faço minhas as palavras dele. Perdoem a presunção.” O autor continua a rever-se nestes poemas, por isso a necessidade de os publicar. Espera, também, com este livro que considera um percurso entre a escrita presa e a escrita solta, isto é, entre o exercício de estilo e a escrita liberta do medo, ao menos, da não-poesia, ajudar todo aquele que, de algum modo, passe ou venha a passar por emoções idênticas e possa, pois, rever-se nele.   A mão evita o gesto, mas a mão ganha arte, entrego-me a homogeneidade da expressão, subo escadas em busca do diálogo certo, completo páginas só numeradas, fecho o livro branco e em cima dele, ponho a mão que evita o gesto.
Sou o meu próprio narrador, jogo com uma história difícil de acreditar, tremo na descontinuidade do saber, olho para ti e falo com a minha vontade. O sonho, é também pura realidade, se adormeço, vivo, a roupa tem um aspecto nervoso, a ansiedade por vezes não é vulgar, o corpo está deitado, o gostar de pé, o ambiente incerto, eu, talvez...
A poesia, o verso, o verso da situação, a prosa até agora ignorada, a caneta que não controlo, o correr da altura que não sei se é própria, a boca imóvel, a euforia de me julgar, é feérico amigo, é verdade, é vulgar, tu existes, é verdade amigo!
         
Título: As Canções de António Botto

Autor: António Botto

Editor: Editorial Presença - 1ª edição 1999 

 Nº Páginas: 248
Ref.: PR006 - Preço: € 14,96

  Jovens Poetas

Autor: Rainer Maria Rilke e Virginia Woolf

Editor: Relógio d'Água - 1ª edição 2003 

 Nº Páginas: 152

Ref.: RA008 - Preço: € 12,00

         
António Botto é considerado um dos heróis do lirismo português moderno. Conhecido fundamentalmente pela prática da poesia de verso livre, António Botto não descura na sua produção literária a elegância da composição e a leveza rítmica. Estas suas Canções, publicadas em 1922 pela fugaz editora de Fernando Pessoa - Olisipo -, chegaram mesmo a ser apreendidas, o que contribuiu para a classificação de António Botto como poeta maldito. Uma reedição há muito aguardada pelo público português.   "As sugestões que Virginia Woolf e Rilke fazem aos jovens poetas vão em sentidos opostos – e daí o interesse maior da sua publicação conjunta. Rilke e Woolf coincidem apenas no conselho que dão aos seus correspondentes para que não tenham pressa em publicar (...). É provável que as suas diferentes abordagens da criação poética tenham a ver com a diversidade da poesia alemã e inglesa no início do século XX e o facto de Rilke ser sobretudo um poeta e Woolf uma romancista. Mas isso foi certamente acentuado pela sensibilidade de cada um e por as disposições dos jovens poetas a que escrevem, John e Kappus, serem também elas distintas – o primeiro voltado para a expressão das suas emoções mais íntimas e Kappus para o exterior." (Do Prefácio)
         
Título: Folhas de Erva

Autor: Walt Whitman

Editor: Assírio e Alvim - 1ª edição 2003 

 Nº Páginas: 415

Ref.: AA003 - Preço: € 30,00

  Título: Hombres e Algumas Mulheres

Autor: Paul Verlaine

Editor: Assírio e Alvim - 1ª edição 2002 

 Nº Páginas: 111
Ref.: AA002 - Preço: € 11,43

     
Menos de um ano depois de a Relógio d' Água ter publicado todas «As Folhas de Erva» traduzidas por Maria de Lourdes Guimarães, eis que a Assírio & Alvim publica uma "antologia" – mas é uma antologia muito substancial, que quase esgota a totalidade da obra – seleccionada e traduzida pelo poeta José Agostinho Baptista. in «Mil Folhas» (Público)   («Hombres e Algumas Mulheres») reúne 14 poemas nos quais o amor homossexual masculino é cantado sem nenhum receio de palavras e despido ao mais cru das obsessões que atormentaram as vadiagens do final da vida do grande escritor francês.in JL em 16/10/2002 , em 11-11-2002. Um livro pornográfico póstumo de Paul Verlaine, numa excelente tradução de Neto Jorge entre o absinto da carne e a memória de anteriores bebedeiras.Pedro Sena-Lino in «Mil Folhas» (Público) 19/4/2003, em 24-4-2003
     
Título: O Desejo  

Autor: Safo

Editor: Editorial Teorema - 1ª edição 2003 

Nº Páginas: 88
Ref.: ET009 - Preço: € 7,88

  Título: A Côr dos Meus Seres

Autor: José Carlos Oliveira Santos

Editor: Universitária Editora - 1ª edição 2001 

Nº Páginas:63
Ref.: UE001 - Preço: € 5,49

     
"Pela sensualidade que lhe está associada, a obra de Safo ainda hoje constitui uma referência. Em "O Desejo", a poetisa grega do amor declara, num tom lírico que oscila entre a ternura e o ardor, os princípios do erotismo que, a par da escola de poesia que dirigia na ilha de Lesbos, a levaram a ser perseguida pelas autoridades." in Folhas Soltas   Apresentação pelo autor: [17 Maio 2001]
A Côr surge quando ao sermos concebidos, ela nos ilumina, nos orienta e nos faz encontrar a razão da nossa existência.
A Côr vem de dentro, ela é a origem de um sonho por vezes real.
A Côr é a figura Mãe, sempre presente, presente no passado e no presente futuro.
A palavra é a expressão que os Seres guardam.
A palavra é a vontade que os Seres vêem nascer
.A palavra é o sentimento que os Seres fazem crescer, viver e voltar a nascer.
A expressão está nas mãos, a vontade por entre os dedos e o sentimento na vida.
As mãos tremem, os dedos unem-se e a vida sente a Côr dos Meus Seres.
O Homem escolhe a Côr, o gesto aconchega-a e a vontade é uma constante.
         
Título: Alguns Poemas de Juventude  

Autor: Federico Garcia Lorca (ed. bilingue)

Editor: Livros Horizonte - 1ª edição 2003 

Nº Páginas: 184
Ref.: HZ001 - Preço: € 19,80

  Título: Poemas e Cartas

Autor: Emily Dickinson (ed. bilingue)

Editor: Cotovia - 1ª edição 2000 

Nº Páginas: 190
Ref.: CT005 - Preço: € 17,43

         
    Escritos entre a turbulência e a incandescência, os poemas de Emily Dickinson acompanham uma existência atormentada e enigmática. Nunca reunidos em vida, com excepção de esporádicas edições em revistas ou jornais, só quatro anos depois da sua morte sai a primeira selecção feita sobre os quase 2000 poemas que a autora deixou. Esta selecção corresponde a uma das muitas possíveis de entre os inúmeros percursos que esta poesia permite."
         
         
         

Copyright © 2003 Zayas Editora,  Todos os direitos reservados
Actualizado a 21 de Julho  2017